Em delegacia sem delegado, presos dividem banheiros com funcionários

28 de julho de 2011 - 10:57 | Postado por:

A cidade de Confresa, localizada a 1.200 quilômetros de Cuiabá, é maior cidade da região Norte Araguaia e responsável pela grande demanda de crimes na região. O fato que chama a atenção é a falta de um delegado de Polícia Civil na cidade, o que atrasa e muito as investigações. E este não o único problema: a falta de infra-estrutura é uma outra grande realidade no sistema de segurança da cidade. Na Delegacia, presos usam o mesmo banheiro dos funcionários.

O último delegado de Confresa foi  Welber Batista, que pós entrar de férias foi transferido. Em seu lugar assumiu o delegado de Alto Boa Vista Alexandre Vicente, mas devido a problemas na troca de gestão no município de Alto Boa vista, o delegado foi mantido na cidade e Confresa ficou sem delegado – fato que já dura cerca de 40 dias.

Atualmente o delegado regional Ronan Villar responde pelos processos na Delegacia de Confresa além de atender outras 10 cidades.  O efetivo de 12 policiais entre plantão, expediente e cartório é pequeno em vista da grande demanda de atendimentos da delegacia que registra cerca de 10 ocorrências por dia.

O problema é geral e coloca em xeque a segurança pública no Estado. Relatório da própria Polícia mostra que existe falta de efetivo e que tem prejudicado o trabalho dos delegados, principalmente no interior, a começar pelo acúmulo de inquéritos pelos delegados, que chegam a responder por até quatro delegacias.

Segundo o Lotacionaograma da Diretoria do Interior da Polícia Civil, as 12 Regionais do interior do Estado têm 82 delegados  para atender 142 delegacias. Desses 82 delegados, 62 estão acumulando delegacias municipais ou distritais  – inclusive algumas desativadas e não instaladas. A falta de delegados é tão grande que os próprios regionais estão respondendo por delegacias municipais.

No caso de Confresa, além da falta de delegado outro grande problema enfrentado pela Delegacia de Polícia de Confresa é a falta de infraestrutura.  A cela  onde os detentos ficam não tem condições mínimas de alojamento e não há banheiro. Os presos têm que ser encaminhados ao banheiro usado pelos investigadores para fazerem suas necessidades fisiológicas, colocando em risco todos os outros usuários.

O café consumido pela delegacia é feito por vizinhos, já que não há copa na delegacia: um incêndio no ano passado destruiu um galpão onde funcionava a cozinha.

O que mais preocupa é que essa situação de caos não é privilégio apenas de Confresa. Outras  cidades do Norte Araguaia enfrentam problemas de magnitude parecida.  Na cidade de Vila Rica, por exemplo,  falta verba até mesmo para a compra de papel higiênico. Na denuncia feita pelo  Conselho Comunitário de Segurança Pública constatou-se que a unidade não recebe nenhum centavo do governo do estado para se manter em funcionamento.

A  delegacia de Vila Rica receberia pequena parte de uma taxa de R$ 38,00 dos estabelecimentos que comercializam bebida alcoólica no município. O valor é arrecadado pela unidade e repassado à prefeitura.

Fonte: 24horasnews.com.br

Deixe um comentário

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo