Ex-delegado é transferido para Cuiabá e pode perder a perna .

27 de setembro de 2016 - 17:52 | Postado por:

9cf530326cf310460c23d19f34d72f3cO Centro Integrado de Operações Áreas (Ciopaer) transferiu o ex-delegado Arnaldo Sottani – baleado após reagir a prisão por tráfico de drogas – para uma unidade de saúde em Cuiabá, na tarde desta terça-feira (27), em estado grave.

Ele foi preso com 150 quilos de cocaína em um avião na segunda-feira (26) em General Carneiro (442 Km de Cuiabá). Durante a ação, ele tentou atropelar agentes da Polícia Federal e policias do Gefron com a aeronave e acabou baleado na perna e no braço.

 

Saiu de Barra do Garças às 13h e chegou aqui por volta 14h30. O estado dele é grave, mas estável. Possível perder a perna

O ex-delegado foi socorrido pelo Ciopaer e encaminhado para o Pronto-Socorro de Barra do Garças (509 km da Capital), onde passou por uma cirurgia.

Nesta manhã, porém, o quadro de saúde de Sottani teria se agravado e por isso foi pedida a sua transferência para a Capital.

Ao MidiaNews, o coronel do Ciopaer, Henrique Santos, disse que o estado de saúde do ex-delegado é considerado grave.

O coronel afirmou que Sottani pode amputar a perna direita.

“Saiu de Barra do Garças às 13h e chegou aqui por volta 14h30. O estado dele é grave, mas estável. Possível perder a perna”, afirmou coronel.

O coronel explicou que o ex-delegado está sob custódia de agentes penitenciários da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).

 

A apreensão

 

Além do ex-delegado, foram presos mais quatro suspeitos – dois que estavam em Fiat Strada, um em caminhão Scania com placa de Palmas (TO) e um outro acusado que estava nas proximidades da pista de pouso.

Conforme o Gefron, o motorista da carreta confessou que estava ali para receber o entorpecente e transportá-lo para o Estado de Goiás.

Os acusados – com exceção do piloto que permanece internado -, a droga e os veículos apreendidos estão na Delegacia de Polícia Federal de Barra do Garças.

 

Demissão

Sottani foi demitido pelo Governo do Estado, em 2013, por suposto desvio de conduta. Segundo o processo administrativo, ele teria recebido dinheiro para interferir nos rumos de uma investigação sobre roubo de gado em Carlinda (724 km da Capital), em 2009.

Com a demissão, o ex-delegado deixou de receber o salário e eventuais verbas indenizatórias.

Sottani também chegou a ser preso em 2010 e processado por tráfico de drogas, supostamente ocorrido em Goiás, mas acabou absolvido no caso.

 

Fonte: Midianews.com.br

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo