Justiça deve julgar hoje pedido de liberdade de frei

3 de fevereiro de 2011 - 10:31 | Postado por:

A Justiça de Várzea Grande deve julgar hoje o pedido de liberdade provisória interposto pela defesa do frei franciscano Erivan Messias da Silva, de 43 anos, preso na última segunda-feira quando saía de um motel da cidade acompanhado de uma adolescente de 16 anos.

Até o final da tarde de ontem, o pedido passava por análise do Ministério Público, que irá se manifestar com um parecer. O pedido tramita na 3ª Vara Criminal da cidade.

A estratégia do advogado Anderson Nunes de Figueiredo é livrar o frei da prisão para, depois desmistificar a acusação que pesa contra ele: estupro de vulnerável. A pena varia de oito a 15 anos de prisão. “Não é crime de estupro. Seria se a violência ocorresse sem o consentimento da vítima”, explica.

Ontem, outras denúncias de abusos sexuais supostamente praticadas pelo frei em outros estados foram veiculadas por sites de notícia. Segundo Figueiredo, o frei rebateu as acusações e disse que todas elas se tratavam de boatos.

A delegada da Mulher, Criança e do Idoso de Várzea Grande, Juliana Chiquito Palhares, explicou que o frei foi enquadrado no crime porque a posição dele na comunidade e no círculo religioso impossibilitava a adolescente de “discernir e resistir ao ato”. É como se o frei exercesse uma dominação social e psicológica sobre a adolescente.

Em depoimento à polícia, a jovem se declarou apaixonada pelo frei e que o considerava namorado. Eles saíam juntos para restaurantes e feiras-livres da Grande Cuiabá e chegaram a ser vistos por vários frequentadores das missas celebradas pelo religioso, que mantinha estreito relacionamento com a família da adolescente.

Porém, quando esteve na delegacia, a adolescente também disse que sofria de depressão. Todos esses fatores foram suficientes para reforçar a prisão e a instauração de inquérito contra o frei. “A lei visa proteger a dignidade sexual da vítima”, salienta a delegada.

A família da adolescente não sabia do relacionamento amoroso da jovem com o frei e está abalada. Segundo Palhares, até o momento, não há indício de envolvimento de nenhum membro da família no caso e, por isso, a jovem voltou para casa.

Palhares tem 10 dias para concluir o inquérito. Um notebook de Erivan também foi apreendido e será periciado. Fotos e conversas entre o frei e a jovem serão interceptadas no aparelho. Outros religiosos próximos ao frei também serão ouvidos.

De acordo com Figueiredo, Erivan está visivelmente abalado. Ele divide cela com outros 17 presos no anexo 1 da Penitenciária Central do Estado. O local é uma espécie de cela especial para pessoas com curso superior. Erivan é formado em teologia e filosofia. A Igreja Católica já destituiu o frei do comando das duas paróquias que dirigia. Um padre visitou Erivan na prisão. Na ocasião, o frei teria confessado todos os fatos ao religioso. 

Deixe um comentário

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo