Mato Grosso tem 1.700 quilômetros de estradas em más condições

Publicada em 27 de outubro de 2011 e está arquivada em Brasil, Mato Grosso

A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou nesta quarta-feira um estudo sobre as rodovias brasileiras que indicam que 18% da malha do país estão ruins e que 8% estão em péssimas condições. Das regiões do país analisadas, o Centro Oeste ocupou o quarto pior índice com 35% de estradas ruins e em péssimas condições, ou seja, mais de 1.700 quilômetros.

O trecho que liga Rondonópolis ao estado de Góias, na BR 364, onde os caminhoneiros e motorista reclamam da falta de sinalização e das más condições da estrada foi classificada pelo CNT como uma rodovia regular. Agora o caminho que liga Cuiabá a Barra do Graças que passa pela BR 070, BR 158 e BR 414 foram consideradas ruins.

Segundo a pesquisa as BR 060 e BR 163 que liga Ponta Porã a Rondonópolis foram classificadas como estradas regulares. De acordo com o estudo as rodovias de Mato Grosso possuem 149 km de afundamentos, ondulações e buracos.

Também foram analisadas na pesquisa as sinalizações que mostraram que mais de 500 km tem placas cobertas pelo mato e que 1.464 km não existem pinturas das faixas. Em todo o Estado as sinalizações das rodovias classificadas como regular, ruim e péssimas somaram 73,7%.

A CNT informou que o objetivo do estudo é avaliar as condições das rodovias brasileiras pavimentadas segundo aspectos perceptíveis aos usuários, identificando as condições das rodovias em relação ao pavimento, a sinalização e a geometria da via. O Sudeste do país é a região que apresenta as melhores condições de rodovias.

 

 

Comentarios

Comentários

  1. roberto ap pasquim disse:

    Nosso governante tem que tomar vergonha ,e olhar para nossas riquezas se perdendo nas estradas
    Olhe para agricultura que derrama pelas estradas brasileira

Deixe seu comentário