Morte de estudante em Cuiabá entra na pauta da OEA

4 de abril de 2013 - 18:41 | Postado por:

c34b2cf55505c0e41540c06ca41bc890

A Organização dos Estados Americanos (OEA) enviou um ofício à União dos Negros pela Igualdade do Distrito Federal (Unegro/DF), informando que a denúncia contra o Estado de Mato Grosso, referente ao assassinato do estudante africano Toni Bernardo da Silva, protocolada em junho do ano passado, entrou na pauta de análise da Comissão Internacional de Direitos Humanos (CIDH).

Toni era natural de Guiné-Bissau (África Ocidental) e morreu em setembro de 2011, por espancamento, dentro de uma pizzaria, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá. Ele cursava Economia na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Entidades e movimentos sociais denunciam o Governo do Mato Grosso junto OEA, pela decisão do Comando Geral da Polícia Militar de inocentar, em inquérito administrativo, os policiais Higor Marcell Mendes Montenegro e Wesley Fagundes Pereira, da acusação de participação na morte do estudante.

A intenção é solicitar que organizações internacionais tomem uma posição e intervenham para que o Estado reveja a decisão, considerada “vergonhosa” pelo movimento.

Os militares, juntamente com o instrutor de autoescola Sérgio Marcelo Silva da Costa, também envolvido briga, foram denunciados por lesão corporal seguida de morte pelo Ministério Público Estadual.

Os denunciantes alegaram que a decisão de inocentar os militares “gera a impunidade que estimula outros atos de violência policial”.

Na denúncia também foi citado o caso de dois turistas argentinos que foram violentamente espancados por dois policiais militares à paisana, dentro de uma casa noturna na capital mato-grossense.

O caso

Toni Bernardo foi morto por espancamento em 22 de setembro de 2011, após uma briga dentro da pizzaria Rola Papo, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá.

Testemunhas disseram Toni pediu dinheiro para a esposa de Sérgio, que não teria gostado e começou uma briga com o rapaz.

Os policiais militares também estavam na pizzaria e teriam se unido ao consultor, segundo testemunhas

Os depoimentos revelam que os policiais teriam imobilizado Toni, que teria sido espancado por Sérgio.

Veja as entidades que assinaram a denúncia feita a OEA:

– União dos Negros pela Igualdade do Distrito Federal (Unegro-DF)
– Grupo Tortura Nunca Mais
– União Brasileira de Mulheres (UBM)
– Movimento Negro Unificado (MNU)
– Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) do Distrito Federal
– União dos Negros pela Igualdade de Mato Grosso (Unegro-MT)
– Grupo de União e Consciência Negra de Mato Grosso
– Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de Mato Grosso (Cojira-MT)
– Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial do Distrito Federal (Cojira-DF)
– União dos Negros pela Igualdade de Sergipe (Unegro-SE)
– Instituto de Mulheres Negras (Imune)
– Movimento de Inteligência Negra (MIN)
– Centro Nacional de Cidadania Negra
– Federação de Umbanda e Candomblé de Mato Grosso
– Associação Mato-grossense dos Portadores de Anemia Falciforme
– Federação das Associações Quilombolas de Mato Grosso
– Instituto de Formação, Estudo e Pesquisa de Mato Grosso
– Centro de Organização e Defesa da Criança e Adolescente
– Instituto das Tradições de Cultura Afro-brasileira
– Instituto Afro Barra do Bugres (MT)
– Associação dos Filhos e Amigos de Vila Bela da Santíssima Trindade (MT)
– Centro de Educação e Cultura Popular de Taguatinga
– União dos Negros pela Igualdade de Pernambuco (Unegro-PE)
– Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar em Estabelecimentos de Ensino do Distrito Federal

Fonte: MidiaNews.com.br

Deixe um comentário

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo