Oito pessoas morrem após queda de helicóptero que levava assassino confesso de chacina em Goiás

9 de maio de 2012 - 10:55 | Postado por:

Um helicóptero da Polícial Civil, que acompanhava a reconstituição da chacina em Doverlândia, a 412 quilômetros de Goiânia, caiu na tarde desta terça-feira (8) provocando a morte de oito passageiros, cinco deles delegados de polícia. O autor dos assassinatos, Aparecido Sousa Alves, 22, está entre as vítimas.

O acidente aconteceu na zona rural, a 25 km do município da Piranhas, na região de Doverlândia, quando a aeronave retornava para a capital, não chovia no momento. Na queda, o helicóptero modelo AW 119 Koala explodiu e caiu na fazenda Afonso Junqueira, no bairro Indaiá, por volta das 15h40. Segundo relato de peões da região, a aeronave teria rodopiado. Assim que caiu, houve a explosão. Entre as vítimas, alguns corpos ficaram carbonizados e decapitados.

O acidente provocou a morte de cinco agentes da Polícia Civil, Jorge Moreira (titular da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas), Antônio Gonçalves (superintendente da Polícia Judiciária), Osvalmir Carrasco (chefe do Grupo Aeropolicial, que pilotava o helicóptero), Vinícius Batista (titular da Delegacia de Iporá e responsável pelo inquérito da chacina) e Bruno Carneiro (chefe-adjunto do Grupo Aeropolicial e co-piloto), e de dois peritos, os primos Fabiano de Paula Silva, lotado em Iporá, e Marcel de Paula Oliveira, lotado em Quirinópolis.

O resgate dos corpos está sendo realizado pelo Corpo de Bombeiros. O local é de difícil acesso e não há previsão para a conclusão da operação. Os motivos da queda estão sob investigação. Segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Civil, o helicóptero estava com a revisão em dia, que havia sido feita ontem (7).

A equipe de resgate é composta por integrantes da Polícia Técnico-Científica, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e GT3 da Polícia Civil, além de um helicóptero do Corpo de Bombeiros com peritos e delegados para isolar o local e providenciar a identificação das  vítimas. O Ministério da Justiça, Departamento de Aviação Civil (DAC) e Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) foram avisados sobre o acidente.

De acordo com a assessoria da Polícia Militar de Goiás, a aeronave é um dos três helicópteros comprados em 2010 pela Secretaria de Segurança Pública e Justiça. O contrato tinha valor de US$ 11 milhões (R$ 21 milhões) e incluía treinamento de tripulantes e pessoal de manutenção.

No fim da noite desta terça-feira, a Secretaria de Segurança Pública e Justiça de Goiás divulgou um pequeno perfil das vítimas:

Antônio Gonçalves Pereira dos Santos
Delegado de Polícia Civil desde 1982 – Superintendente de Polícia Judiciária
Policial Civil desde 1969, quando foi admitido para o cargo de Investigador.
Idade: 64 anos
Naturalidade: Pedro II – Piauí
Estado Civil: Casado
Número de Filhos: 3 filhos

Bruno Rosa Carneiro
Delegado de Polícia Civil desde 2004 – Chefe-adjunto do Grupo Aeropolicial
Idade: 32 anos
Naturalidade: Goiânia – GO
Estado Civil: Solteiro
Filhos: não tinha

Fabiano de Paula Silva
Perito Criminal desde 2000 – Odontólogo – Lotado em Iporá
Idade: 37 anos
Estado Civil: Separado
Número de Filhos: 4 filhos

Jorge Moreira da Silva
Delegado de Polícia Civil desde 1982  – Titular da Delegacia Estadual de Repressão a Roubos de Cargas
Idade: 53 anos
Naturalidade: Porto Nacional – Tocantins
Estado Civil: Divorciado
Número de Filhos: 2 filhas

Marcel de Paula Oliveira
Perito Criminal desde 2010 – Farmacêutico Bioquímico – Lotado em Quirinópolis
Idade: 31 anos
Estado Civil: Solteiro
Filhos: não tinha

Osvalmir Carrasco Melati Júnior
Delegado de Polícia Civil desde 2000 – Chefe do Grupo Aeropolicial
Idade: 38 anos
Estado Civil: Casado
Número de Filhos: 3 filhos

Vinícius Batista da Silva
Delegado de Polícia Civil desde 2010 – Titular da Delegacia de Iporá
Idade: 33 anos
Naturalidade: Goiânia – Goiás
Estado Civil: Casado
Número de Filhos: 1

Aparecido  de Souza Alves
Suspeito da morte de sete pessoas na cidade de Doverlândia
Idade: 22 anos

Luto oficial

O governador Marconi Perillo (PSDB) decretou luto oficial de três dias no Estado, em respeito aos policiais civis e demais vítimas da tragédia.

Em nota divulgada na noite de hoje, assinada pelo político, ele diz que “se junta à população, amigos e familiares na última homenagem a esses servidores, num momento de dor e comoção na corporação, no governo do Estado e na sociedade”.

“O governo de Goiás lamenta profundamente a morte dos delegados e servidores da Secretaria de Segurança Pública, em decorrência do acidente com o helicóptero da Polícia Civil. Goiás perde profissionais de altíssimo valor, ilibada reputação, reconhecida competência e notável valor humano, que se destacaram no exercício de suas funções, honrando a tradição de nossa polícia”, diz ainda o comunicado.

A chacina

Os delegados e agentes da Polícia Civil participavam da reconstituição da chacina, que ocorreu numa fazenda em Doverlândia, no dia 28 de abril, quando sete pessoas foram degoladas. Aparecido Souza Alves confessou os assassinatos.

Em depoimento, chegou a dizer que matou as sete vítimas sozinho. A polícia investigava se outras três pessoas teriam participado dos assassinatos do dono da fazenda e o filho dele, um caseiro da propriedade e dois casais que haviam ido visitar o fazendeiro.

Fonte: Uol.com.br

Deixe um comentário

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo