Operário sobrevive após ter cérebro atravessado por um vergalhão de 2m de comprimento

16 de agosto de 2012 - 17:42 | Postado por:

RIO – Um operário da construção civil de 24 anos foi atingido nesta quarta-feira por um vergalhão numa obra em Botafogo, Zona Sul do Rio, e sobreviveu. O pedaço de ferro, de dois metros de comprimento, atravessou o capacete do rapaz, perfurou seu cérebro e saiu pela região entre os olhos. Os bombeiros cortaram uma parte do vergalhão no local do acidente e levaram o ferido para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. A equipe cirúrgica operou a vítima ainda ontem, durante cinco horas. Segundo os médicos, o operário – cujo nome não foi divulgado – chegou ao hospital falando e consciente. Três médicos participaram da cirurgia, que reconstruiu o cérebro do rapaz, que, aparentemente, não apresenta sequelas.

A vítima está internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas acordada e falando. De acordo com o diretor do hospital, Luiz Alexandre Essinger, o risco agora é que o paciente contraia uma infecção:

— Quando o vergalhão entrou no cérebro, levou também muita poeira. Os cirurgiões limparam a área e cauterizaram os vasos sanguíneos afetados. O risco agora é ter uma infecção. Para evitar uma contaminação de secreções dos seios da face, o vergalhão foi puxado para baixo durante a cirurgia.

Segundo os médicos, a área afetada do cérebro é responsável pela parte das emoções. A vítima poderia ficar desorientada ou ter perda de memória, o que não aconteceu. Ele ainda deu mais sorte: se o vergalhão tivesse entrado três centímetros mais para o lado, teria atingido a parte do cérebro responsável pela coordenação motora. A vítima não estaria conseguindo mexer pernas e braços. Se tudo der certo, o paciente terá alta em uma semana.

Em 2009, o mergulhador Emerson de Oliveira Abreu, de 36 anos, foi atingido por um arpão que perfurou o lado esquerdo de seu crânio durante uma pesca submarina na Baía de Guanabara, na altura da Ilha do Governador. Ele foi ferido pelo próprio equipamento, que resvalou em uma pedra e retornou em sua direção. A arma, de 70 centímetros, não chegou a atravessar o crânio de Abreu, que chegou consciente ao hospital.

À época, os médicos disseram que por alguns milímetros não alcançou a artéria carótida. Ele teve alta do hospital alguns dias depois, sem sequelas. Segundo os médicos, 25 centímetros do arpão penetraram na região frontal direita do cérebro de Emerson.

 

Deixe um comentário

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo