Real Madrid vence Atlético nos pênaltis e conquista Champions pela 11ª vez

30 de maio de 2016 - 16:02 | Postado por:

O Real Madrid derrotou neste sábado o Atlético de Madrid nos pênaltis por 5 a 3, após empate em 1 a 1 nos 120 minutos de bola rolando no estádio San Siro, em Milão, e conquistou pela 11ª vez na história a Liga dos Campeões da Europa.
No tempo normal, o zagueiro espanhol Sérgio Ramos esteve perto de ser herói, ao abrir o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. O meia-atacante belga Yannick Ferreira Carrasco, que saiu do banco no intervalo, foi responsável por decretar a igualdade, aos 34 da etapa final.
Antes disso, ainda no início do segundo tempo, o atacante francês Antoine Griezmann já havia tido grande oportunidade de empatar o placar, em cobrança de pênalti, mas acertou o travessão do costarriquenho Keylor Navas.
Após prorrogação de poucas emoções, o Real foi impecável na marca fatal, acertando os cinco tiros, o último com o português Cristiano Ronaldo, que valeu a vitória, já que o lateral-direito Juanfran tinha acabado de acertar a trave esquerda, na quarta batida.
Os ‘Blancos’ chegaram a 11 conquistas, somando a taça deste ano as conquistadas em 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1966, 1998, 2000, 2002 e 2014. A equipe mais próxima na galeria de campeões continentais é o Milan, com sete conquistas.
O Atlético de Madrid, por sua vez, é o primeiro time a alcançar três decisões, além da de dois anos atrás, também foi para a final em 1974, e não conseguir ficar com o título.
Hoje nas escalações, Zidane e Simeone não apresentaram surpresas, com o primeiro optando pela manutenção da equipe que fez os principais jogos da metade final da temporada; e o segundo apostando em Savic na zaga, ao invés de Giménez, e no volante Fernández, deixando o meia-atacante Ferreira Carrasco no banco.
Além disso, três brasileiros começaram a partida decisiva no estádio San Siro: Marcelo e Casemiro, pelo Real Madrid, e o lateral-esquerdo Filipe Luís, do Atlético de Madrid. Danilo, por sua vez, foi para o campo aos 8 minutos do segundo tempo, substituindo Carvajal, que saiu lesionado.
O apito inicial mostrou que o clima seria de tensão. Logo no primeiro minuto, Koke fez falta dura em Casemiro e, por causa disso, tomou uma “dura” dos adversários. Instantes depois, novo entrevero, quando Bale sofreu falta de Gabi na entrada da área.
O próprio galês foi para a cobrança de falta e soltou uma bomba, cheia de veneno. Casemiro se antecipou a linha de defensores do rival, emendou de primeira e obrigou Oblak a fazer defesa espetacular, de puro reflexo.
A bola parada do Real funcionou de novo aos 15 minutos do primeiro tempo, e dessa vez o goleiro esloveno não conseguiu evitar o gol. Kroos levantou na entrada da área, Bale escorou de cabeça e Sérgio Ramos desviou de leve para o fundo das redes.
A vantagem deu mais força ao time de Zidane, que tomou conta do jogo, enquanto o Atlético não encontrava qualquer espaço para conseguir agredir o adversário.
Aos 33, Griezmann foi acionado, se livrou da marcação, mas chutou fraco. No minuto seguinte, o francês apareceu de novo, dessa vez em uma bomba de primeira, que Navas espalmou. O lance, no entanto, foi invalidado por impedimento.
Sempre com o camisa 7, o Atlético ia tentando balançar as redes do Real. O atacante, aos 42 minutos, recebeu na entrada da área e emendou de perna direita, finalizando à direita do gol defensido pelo goleiro costarriquenho da equipe ‘blanca’.
Para o segundo tempo, Simeone apostou em Carrasco no lugar de Fernández, e logo aos 2 minutos, o time ‘colchonero’ teve a chance de ouro para igualar o placar, quando o árbitro inglês Mark Clattenburg marcou pênalti de Pepe em Fernando Torres. Na cobrança, Griezmann acertou o travessão.
Pouco depois, Danilo foi para o campo, no lugar de Carvajal, que saiu lesionado. Instantes depois da entrada do lateral-direito, Savic pelo Atlético e Bale pelo Real Madrid ficaram perto de mexer no placar, mas ambos erraram o alvo.
Organizado e bem fechado, o time ‘blanco’ teve ótima chance de ampliar a vantagem aos 24 minutos, quando Kroos acertou lançamento primoroso e achou Benzema na direita. O francês disparou e bateu cruzado de perna direita, parando em boa defesa de Oblak.
Aos 32, com o Atlético acuado e pouco agressivo, Cristiano Ronaldo ficou muito perto de chegar aos 17 gols nesta edição da competição, ao receber na entrada da área, disparar e bater para a defesa de Oblak.
Ainda na sequência do lance, o português teve nova oportunidade, mas exagerou no preciosismo e acabou perdendo. Na segunda tentativa, Bale é que tentou finalizar, mas também desperdiçou.
O “quem não faz, leva” demorou um minuto para ecoar no San Siro. Em alta velocidade, os ‘Colchoneros’ vieram com tudo para o ataque. Juanfran recebeu na direita e cruzou na medida para Carrasco, que bateu de primeira para vencer Navas e balançar as redes.
O gol incendiou o duelo, tanto é que Fernando Torres teve chance de marcar pouco depois do empate. Em seguida, Bale respondeu para o Real, obrigando Oblak a fazer mais uma boa defesa na partida, que acabou levando o jogo para a prorrogação.
No tempo-extra, apesar do desgaste físico, os ‘Blancos’ voltaram lutando muito, para impedir as ações ofensivas do adversário. Casemiro, em chute de longe, e Cristiano Ronaldo, de cabeça, tiveram oportunidades antes dos 4 minutos.
Depois disso, o Atlético conseguiu se reorganizar, enquanto o Real sofria, por exemplo, com Bale sentindo fortes cãimbras. Os ‘Colchoneros’, no entanto, não conseguiram levar perigo nos minutos finais da etapa inicial.
No princípio do segundo tempo da prorrogação, o Atlético perdeu Filipe Luís, com dores. O substituto do brasileiro, que está convocado para defender a seleção na Copa América foi o francês Lucas Hernández. Pouco depois foi a vez de Koke sentir e dar lugar ao ganês Thomas Partey.
A única oportunidade de gol dos 15 minutos finais da partida foi do Real, quando, após cruzamento da esquerda, Vázquez, que havia substituído Benzema, recebeu na direita, mas demorou a bater e acabou acertando defensor adversário.
Nos pênaltis, os dois times se mantiveram iguais até a terceira série, com Vázquez, Marcelo e Bale marcando para os ‘Blancos’, e Griezmann, Gabi e Saúl anotando gols para os ‘Colchoneros’. Sergio Ramos acertou o quarto tiro de seu time, e, na sequência, Juanfran acertou a trave esquerda defendida por Navas.
Coube ao artilheiro da competição, Cristiano Ronaldo, ser o protagonista do último lance desta edição da Liga dos Campeões, cobrando pênalti com muita categoria, sem dar chances para Oblak, fechando o placar de 5 a 3.
Ficha técnica:
Real Madrid: Navas; Carvajal (Danilo), Pepe, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Kroos (Isco) e Modric; Bale, Cristiano Ronaldo e Benzema (Vázquez). Técnico: Zinedine Zidane.
Atlético de Madrid: Oblak; Juanfran, Godín, Savic e Filipe Luís (Hernández); Saúl, Gabi, Fernández (Carrasco) e Koke (Partey); Griezmann e Fernando Torres. Técnico: Diego Simeone.
Árbitro: Mark Clattenburg (Inglaterra), auxiliado pelos compatriotas Simon Beck e Jake Collin.
Gols: Sergio Ramos (Real Madrid); e Carrasco (Atlético de Madrid).
Cartões amarelos: Carvajal, Navas, Casemiro, Sergio Ramos, Danilo e Pepe (Real Madrid); Fernando Torres e Gabi (Atlético de Madrid).
Nos pênaltis: Acertaram: Vázquez, Marcelo, Bale, Ramos e Cristiano Ronaldo (Real Madrid); Griezmann, Gabi e Saúl (Atlético de Madrid). Errou: Juanfran (Atlético de Madrid).

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo