Reservas decidem e Galo vence o Botafogo

20 de agosto de 2012 - 09:02 | Postado por:

Numa tarde em que Ronaldinho e Seedorf brilhavam, quem acabou decidindo a partida neste domingo, no Independência, em Belo Horizonte, foram dois reservas do Atlético-MG que entraram em campo no segundo tempo. Neto Berola, que não jogava há 107 dias, fez linda tabela com Carlos César, e marcou aos 43 minutos da etapa final o gol da vitória de 3 a 2 do líder do Campeonato Brasileiro – e antecipadamente campeão simbólico do primeiro turno – sobre o Botafogo. Os outros gols do time mineiro, que soma 42 pontos, foram marcados por Escudero e Jô, com Andrezinho fazendo os da equipe carioca, que está em sétimo lugar, com 27 pontos.

Esta foi a segunda vez que o Galo levou dois gols num mesmo jogo no Brasileiro (a outra foi na nona rodada, na vitória de 4 a 3 sobre o Figueirense), a primeira em casa. Na próxima rodada, o Botafogo enfrentará o Flamengo, no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Engenhão. O Atlético-MG faz o clássico com o Cruzeiro, no mesmo dia, às 18h30m, no Independência.

Com o estádio lotado, incendiado pela empolgação dos atleticanos, a partida começou a cem por hora, mas surpreendentemente com o time visitante mais presente no campo do ataque, rondando a área adversária. Com marcação adiantada e forte no meio do campo, o Botafogo tomava a bola e procurava sair com velocidade para o ataque, enquanto o time mineiro insistia em lançamentos altos para Jô. No espaço de dois minutos, o uruguaio Lodeiro, pela primeira vez titular na equipe do Rio, teve duas chances de marcar. No lado oposto, apenas um chute de fora da área, desferido por Leandro Donizete, nos primeiros dez minutos, levou algum perigo.

Quando Ronaldinho saiu da ponta-esquerda e buscou espaço pelo meio, o Galo criou sua primeira chance clara, aos 13, mas Bernard despediçou, porém com méritos para a boa saída de gol do goleiro adversário. O time mineiro já havia controlado o ímpeto inicial do Botafogo, mas a equipe carioca ainda possuía boas opções ofensivas, especialmente com Elkeson, que fazia boa partida. A questão era acertar a marcação na defesa.

O Galo então passou a ter presença mais constante no ataque e despediçou ótimas chances com Escudero e Junior Cesar. E num momento em que a partida estava mais presa às duas intermediárias, Jadson tirou o pão da boca de Leandro Donizete na saída de bola do Atlético-MG e deu a Andrezinho, que passou para Elkeson na direita. O camisa 9 cruzou rasteiro, de dentro da área, buscando Jadson na pequena área, Lèo Silva chegou a tirar, mas Andrezinho ficou de frente para Victor e colocou por cima do goleiro do Atlético-MG para abrir o marcador.

O time da casa sentiu e o visitante passou a dominar até que numa bobeada no lado esquerdo de sua defesa cedeu o empate. A bola parou na meia-esquerda nos pés de Ronaldinho, que lançou Jô, absolutamente livre na área, o atacante dominou no peito, tentou tocar por baixo de Jefferson, mas o goleiro conseguiu impedir, porém a bola sobrou para Escudero, que tinha o gol aberto e para lá chutou: 1 a 1.

Galo começa melhor, cede o empate, mas chega a mais uma vitória no fim

O líder do Brasileiro iniciou a etapa final como se esperava que começasse o jogo: pressionando o Botafogo. E depois de criar algumas boas oportunidades, virou o jogo, aos 8, quando Ronaldinho recebeu livre na área pelo lado esquerdo, esperou a saída de Jefferson e deu de bandeja o gol para Jô. A bola ainda tocou no travessão antes de entrar. O Botafogo parecia não ter voltado do vestiário e poucas vezes ia ao ataque com a mesma força da primeira etapa. Certamente pensando nisso, Oswaldo de Oliveira tirou o meia Lodeiro e pôs o centroavante Rafael Marques aos 16 minutos.

O Atlético-MG já não tinha mais o mesmo fôlego do início, passou a jogar mais nos contra-ataques e cometeu o erro de deixar Seedorf praticamente sem marcação no meio. Por outro lado, o Botafogo também deixava Ronaldinho, que se deslocava constantemente para puxar os contra-golpes, muito livre. Apesar de mais presente no setor ofensivo, a equipe carioca encontrava muitas dificuldades de criar boas chances, não só pela postura mais defensiva do adversário, mas porque Rafael Marques não conseguia se encontrar.

Porém, o craque o encontrou. Seedorf fez ótimo lançamento para Rafael Marques na área, o centroavante matou no peito e, quando ia finalizar, foi derrubado por Rever, aos 33. Pênalti que Andrezinho cobrou muito bem, dois minutos depois, no canto esquerdo de Victor, para empatar. Após levar o gol, o Galo adiantou a marcação, mas foi num contra-golpe que chegou à vitória. Aos 43, depois de nova bobeada de Rafael Marques no ataque, o time mineiro tomou a bola e partiu para frente, onde Neto Berola, que havia substituído Escudero, e Carlos César, que entrara no lugar de Serginho, tabelaram. Berola recebeu passe perfeito de calcanhar do companheiro e tocou com calma e categoria por cima de Jefferson e sair para comemorar. Delírio no Independência: o Galo vingador continua mandando no Campeonato Brasileiro.

Fonte: midianews.com.br

Deixe um comentário

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo