Vacina contra dengue chega em Cuiabá e custa R$ 300

23 de agosto de 2016 - 12:56 | Postado por:

 

Apesar do aumento de 16% dos casos de dengue este ano, em relação ao ano passado, a vacina contra a doença, que se apresenta de várias formas, das mais amenas à hemorrágica, chegou, sem alarde, à Cuiabá.

Sem filas, as clínicas de vacinação estão agendando as aplicações, porque um frasco vem com cinco doses e uma vez aberto, dentro de seis horas, o produto tem que ser usado, senão estraga.

Em duas das principais clínicas da capital, as aplicações ainda não começaram por falta de clientes.

A vacina contra a dengue – que deve ser tomada em três doses – é promessa de apenas 66% de proteção contra a doença e custa cara: R$ 300 a dose, contra R$ 100 da H1N1 cuja cobertura é de 100% também contra a H3N2 e mais dois tipos de influenza.

O administrador da Clínica Vaciclin, Olavo Molina, explica que estes tipos de gripe são os que mais levam à internação e morte.

Crianças de seis meses ou mais e adultos sem idade limite podem tomar a vacina contra a gripe, já a da dengue estabelece limite de idade de 9 a 45 anos.

“Estávamos com uma lista de espera com 20 nomes, mas, quando a vacina chegou, 90% dos nomes eram de crianças com menos de 9 anos”, explica Molina, afirmando que “a procura, por enquanto, está zero”.

Outro complicador da vacina contra a dengue é que nos 30 dias anteriores e posteriores à aplicação a pessoa não pode ter tomado nenhuma outra vacina, porque a dose deve fazer efeito isolada no organismo.

Na Vaciclin e também na Clínica da Unimed a dose sai por R$ 300. Para clientes da Unimed, o valor cai para R$ 255. Mesmo assim, só quatro pessoas estão na fila, aguardando uma quinta interessada.

Dados atuais

Mato Grosso já registrou 25.846 casos de dengue neste ano. No mesmo período de 2015 foram 22.238 notificações.

Esta semana, diante disso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) reforçou o alerta para a intensificação das ações de prevenção e controle da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus aos 141 municípios.

Em Mato Grosso, só seis municípios não registraram casos este ano, dois deles na Baixada Cuiabana – Jangada e Nossa Senhora do Livramento. As outras cidades “livres” da dengue são Indiavaí, Conquista d´Oeste, Figueirópolis d´Oeste e Santa Terezinha.

Zika e chikungunya

Em relação ao zika vírus, são 24.240 casos suspeitos. No acumulado, 84 municípios apresentam incidência acima de 300 casos por 100 mil habitantes.

Os casos de febre chikungunya registrados este ano são 1.279. No acumulado, os municípios com maiores incidências são: Campo Novo do Parecis (1895/100 mil), Querência (468/100 mil) e Acorizal com 336/100 mil. Os demais registraram menos de 300/100 mil habitantes.

Fonte:gazetadigital.com.br

© Copyright 2016 TV Taquari Rede Record. Política de Privacidade.
Desenvolvido por: Agência Camargo